domingo, 30 de setembro de 2007

Benfica -Sporting, aparte do jogo

Não vi o jogo, ia a caminho do café da esquina, quando ouvia via radio, o escalonamento das equipas, ouvia então que o "21" ia ser titular, voltei pra trás e vim brincar com a minha filhota pra casa, pensei na altura, não valer a pena ver o jogo, porque não iamos marcar... e ver o Quim a brilhar parecia-me então uma coisa já banal...

Mas vi o resumo e os comentários, sobretudo os comentários e os lances "do sporting", ou melhor, o lance.

O lance do sporting, não é nenhum que se tenha passado no campo, o lance do Sporting é a podridão dos comentários, da hipocrisia, da mediocridade, do anti fair play. É esse o lance do Sporting.

Que estraguem todos os campeonatos, sempre com metiras, invenções.... descontextualizações, já nós sempre fomos habituados ao longo dos anos, mas este ano, já é demais... cansa...

Se o resto do mundo visse o futebol como o Sporting, há muito que este desporto não era o desporto Rei.

Penso que seria bom, na academia, começarem a ensinar as regras do futebol, ensinar-lhes que se eles erram e muito, também os arbitros podem errar, mas mais do que isso, podiam-lhes ensinar alguma ética, talvez com a introdução da Filosofia, no seu programa educacional. Provavelmente estes já não iam a tempo de perceber, mas prós futuros prodígios era conveniente.

Explicar-lhes a diferença de um passe e de um corte, e depois com testes práticos era uma boa oportunidade, pra mais tarde não existirem insanidades.

Explicar-lhes que sempre que o fiscal de linha assinala qualquer coisa, não quer dizer que tenha de se marcar o que diz, quem manda é o arbitro e é obvio que o arbitro neste caso interrompe o jogo pq pensa que o fiscal assinala fora de jogo, quando percebe que o fiscal queria penalty, o arbitro diz que não pois tinha visto que não era, como é obvio! E como a bola não tinha saido quando se interrompeu o jogo é bola ao ar. Nada a dizer. Não existe erro de arbitragem.

Nota: se um jogador tiver os braços encostados ao corpo, não existe braço e lugar a falta! Está nas regras...!

A diferença neste e no Estrela-Benfica foi que, interrompendo o jogo, consultou o fiscal e este transmitiu-lhe que era mão, o arbitro não tinha visto (nem podia, não aconteceu) e como não viu seguiu a sinalização do fiscal de linha. Foi erro de arbitragem aqui, mas não se pode, para bem da saúde mental, comentar, como fez Paulo Bento, que um erro cometido uma vez, teria de ser cometido para sempre, "os critérios têm de ser iguais".

Se o Sporting comete erros atrás de erros, porque mantém sempre o critério da desculpa com qualquer coisa, é com o próprio Sporting e mais ninguém.

Já era altura de nascer um Sportinguista com inteligência, para tomar conta da forma de estar no futebol...

1 comentário:

rearviewmirror disse...

Fizeste bem em ir brincar c a ines, porque ver o Nuno Gomes a falhar um golo de baliza aberta, tira anos de vida a uma pessoa..